Saltar para o conteúdo principal da página

Arquivo de Conservação e Restauro

O Arquivo de Conservação e Restauro teve a sua origem no Laboratório de Exame de Obras de Arte, constituído nas primeiras décadas do séc. XX no Museu Nacional de Arte Antiga, impulsionado por José de Figueiredo e João Couto, primeiros diretores do MNAA, e foi sendo continuado, integrando-se formalmente no Instituto de José de Figueiredo (IJF), após a sua constituição formal, em 1965. Cada peça analisada ou intervencionada nos ateliers do IJF, assim como as obras de arte observadas ou tratadas in situ em todas as regiões do País (Brigadas), foram objeto de um relatório escrito.

O Arquivo Técnico integra atualmente 20.000 processos de conservação e restauro e de laboratório, que incluem relatórios (manuscritos e/datilografados), apontamentos, documentos de correspondência, gráficos, esquemas, tabelas, desenhos (a lápis e/ tinta), plantas, croquis, transparentes, esquissos, fotografias, fotografias impressas e coladas em cartões, raios-x, diapositivos, recortes e/ou artigos de publicações, fotocópias de informação diversa, amostras de materiais diversos, CD e DVD. A documentação fotográfica e radiográfica inclui cerca de 80.000 originais.

Condições de Acesso e Utilização

O Arquivo de Conservação e Restauro, anexo à Biblioteca de Conservação e Museus, está instalado no Palacete Pombal, na Rua das Janelas Verdes, em Lisboa, sendo possível a sua consulta, mediante marcação prévia via e-mail.

O Arquivo está aberto todos os dias úteis, entre as 9h00 e as 12h00 e as 13h00 e 17h00.

Quem pretenda consultar processos, deve formalizar o pedido de consulta, através do correio eletrónico abaixo indicado, referenciando:

a) Identificação do requerente;

b) Âmbito da consulta (académico ou outro, identificação do regente da cadeira ou responsável pela investigação; entidade proprietária dos objectos ou colecções; conservador-restaurador, etc.) e, sempre que possível, identificação dos processos a consultar.

Quando os processos estiverem disponíveis para consulta presencial, os requerentes serão contactados para agendar a consulta. Esta será viabilizada mediante o preenchimento do seguinte formulário.

Não está autorizada a fotocópia e/ou digitalização dos processos de conservação e restauro do Arquivo Técnico, mas podem ser requeridas digitalizações de imagens integradas nos processos mediante requisição disponível no serviço e contra o pagamento  das somas previstas no regulamento para cedência de imagens em vigor na DGPC.

Contactos

Rua das Janelas Verdes, nº 37
1249-018  Lisboa
T.: 213 934 219
E-mail: claudiapereira@dgpc.pt