Saltar para o conteúdo principal da página
Património Mundial

Centro Histórico de Olinda

Descrição

Histórico:

A cidade de Olinda fica na zona costeira do Estado de Pernambuco, a norte do Recife.
Na história da permanência portuguesa no Brasil, a primeira fase caracteriza-se pela exploração da cana-de-açúcar. Deste período decorre a fundação e importância de Olinda, que foi o primeiro estabelecimento e, durante muito tempo, o mais importante centro de comércio do Brasil Setentrional.
Fundada em 1537 por Duarte Coelho, primeiro donatário português, com o nome de “Nova Lusitana”, foi implantada nos montes vizinhos ao oceano por razões de estratégia militar. Deste período datam as fundações da Sé, do antigo Palácio dos Bispos e da Igreja da Misericórdia.
Cerca de cem anos após a sua fundação, a cidade foi invadida pelos holandeses, saqueada e incendiada, tendo cedido a Recife o posto de capital do Estado. O saque e o incêndio, destruiram grande parte dos edifícios e traçado originais.
Após a retirada dos Holandeses na segunda metade do século XVII, Olinda iniciou o período de reconstrução, sendo o centro histórico actual o resultado das construções efectuadas posteriormente.

Descrição:
O traçado urbano de Olinda apresenta um aglomerado irregular, desenhado em função das casas e não do arruamento. As ruas adaptaram-se às condições topográficas, organizando-se como eixos de ligação entre os centros de actividade do povoado: centros comerciais, políticos e religiosos, como o antigo Paço Episcopal, a Igreja da Misericórdia, o Mosteiro de S. Bento, a Igreja do Convento do Carmo. Além dos conventos e igrejas que constituem o seu património arquitectónico, Olinda possui outros exemplos como a Praça João Alfredo e a Rua do Amparo, arruamentos onde prevalece a construção de proporções robustas.
O conjunto jesuítico do Colégio e Igreja de Nossa Senhora da Graça, projectado pelo arquitecto jesuíta Francisco Dias em 1592, é o único exemplo remanescente das obras seiscentistas de Olinda.
Aquele que é hoje conhecido como o antigo Palácio Episcopal de Olinda, foi sede camarária e sede episcopal entre os séculos XVII e XIX.
A actual Igreja da Misericórdia data do século XVII, e veio substituir a anterior, incendiada aquando da invasão holandesa. No centro do frontispício ostenta as armas de D. Sebastião de Portugal.
A Igreja de S. Bento foi construída ao longo da segunda metade do século XVIII, e o Mosteiro, em que se destacam a vasta capela-mor e a talha dourada, foi alvo de um restauro profundo em 1860.
A actual Igreja do Convento do Carmo de Olinda data de uma campanha de obras que se estende pela primeira metade do século XVIII. Já nos finais do século XIX, as obras de beneficiação acrescentaram ao edifício um sólido camarim, e no século XX o imóvel seria alvo de obras de recuperação e restauro.

Outras ligações:
UNESCO - Historic Centre of the Town of Olinda

Biografia

Dias, Pedro, Arte de Portugal no Mundo, Brasil - Arquitectura Civil e Religiosa, Lisboa, Editor Público – Comunicação Social, S.A., 2008.

Guia dos Bens Tombados. Brasil, Coordenação de Maria Elisa Carrazzoni, Rio de Janeiro, Expressão e Cultura com o Apoio Cultural da Caixa Econômica Federal, 1987.

Património da Humanidade, World Heritage e Sites in Brazil, Pesquisa e Texto Percival Tirapeli, São Paulo, Metalivros, 2000.